Inaugurada em 1974, com o nome Gravura Brasileira e especializada em obras múltiplas, a galeria foi, com o tempo, passando a trabalhar com pintura e escultura, acolhendo novos artistas com Tunga, Palatnik, Waltercio, Roberto Magalhães, e outros.

Além de ocupar o seu espaço no Cassino Atlântico, com individuais de Anna Letycia, Krajcberg, Palatnik, Sued, Piza, Áquila e Galvão, a galeria organizou mostras em espaços institucionais como Fundação Casa França Brasil – “Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil”, Glauco Rodrigues, 1988 e “Na trilha da Grande Mãe”, Krajcberg, 1995, Paço Imperial “40 anos de gravura”, Anna Letycia, 1995 e na Vila Maurina – “O Traço e a Matriz” Roberto Magalhães, 1995. Participou da exposição “Rio Mostra Gravura” com “Gravuras de Darel” – em setembro de 1999 incluindo diversas técnicas, como lito, metal e foto-montagem. Em 2011, produziu a exposição individual do artista Frans Krajcberg no MAC de Niteroi em comemoração aos 15 anos do museu.

Recentemente, passou a chamar-se Marcia Barrozo do Amaral – Galeria de Arte e fez exposições de Iole de Freitas, Ivens Machado, Ascânio, Luiz Aquila, Zemog e Luiz Philippe.

Paralelamente no ano 2000, editou o livro “Frans Krajcberg – Natura e Revolta”, lançado no Rio, São Paulo e Paris. O 1º vol. traz um levantamento abrangente da obra de Krajcberg, e o 2º vol. “Natura” as fotos tiradas pelo próprio artista em suas viagens pela Amazônia. Em 2005, foi lançado “Natureza de Krajcberg”, livro de fotografias, ao mesmo tempo o artista mostrou os trabalhos mais recentes. Finalmente, em 2007 publicou FK, outro livro de fotografias.